segunda-feira, 17 de abril de 2023

Qual o propósito dos dízimos e ofertas?

 


Primeiramente: Tudo pertence a Deus, tudo mesmo.

Nosso corpo, nossos talentos, nosso tempo, nossas posses e bens pertencem a Deus.

 

 Como está escrito: Ou vocês não sabem que o corpo é um lugar sagrado, onde mora o Espírito Santo? Vocês percebem que não podem viver de qualquer maneira, desperdiçando algo pelo qual Deus pagou um preço tão alto?” (1º Coríntios 6:19, 20).

Você mesmo acabou de lê: Nem o seu corpo pertence a você, imagina o que você ganha!

 

Por isso posso afirmar: o dízimo é sagrado. Ele pertence a Deus.

Como está escrito: “Todos os dízimos da terra—seja dos cereais, seja das frutas—pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor. O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor.” (Levítico 27:30,32).

Por isso, não damos o dízimo, mas sim devolvemos o que é de Deus.

O mesmo acontece com nossas ofertas, elas são necessárias para construir, manter e operar a igreja (pagando contas de limpeza, luz, água), e para empreender a obra missionária, evangelística, demonstrando assim o significado prático do evangelho.

A sua e a minha motivação ao devolver o dízimo não é conseguir bênçãos materiais de Deus, mas expressar gratidão pelas dádivas recebidas. Deus não faz troca com ninguém. Existem igrejas que ensinam a teologia da prosperidade, um tipo de barganha com Deus. Se eu der uma quantidade x do meu dinheiro, meu carro, minha casa, meu negócio, Deus vai dobrar meus ganhos, isso não vem de Deus, mas uma mentira. Deus não quer que seus filhos passem necessidades por seguir falsos ensinamentos.

Como está escrito: Já fui jovem e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado nem seus filhos mendigando o pão.” (Salmos 37:25).

 

Mas Deus não pode ser comparado a um fundo de investimento, não é essa a relação que Ele deseja ter conosco. O Senhor nos ensina a ofertarmos humildemente e com sinceridade de coração, não por ostentação ou interesse.

 

Como está escrito: Jesus olhou e viu os ricos colocando suas contribuições nas caixas de ofertas. Viu também uma viúva pobre colocar duas pequeninas moedas de cobre. E disse: “Afirmo que esta viúva pobre colocou mais do que todos os outros. Todos esses deram do que lhes sobrava; mas ela, da sua pobreza, deu tudo o que possuía para viver”. (Lucas 21:1-4).

 

Por fim, a contribuição cristã deve seguir a exigência de dar conforme a prosperidade que se tem alcançado. Se você ganha pouco, dê pouco; se ganha muito, dê muito, mas jamais, em hipótese alguma dê tudo, por que senão, você pode passar por dificuldades financeiras, e cometer o pecado de culpar a Deus por estar passando por essa situação. Não Faça isso meu caro leitor(a).

 

Como está escrito: Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria.” (2 Coríntios 9:7).

 

Como está escrito: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança” (Malaquias 3.10).

 

 É através das contribuições financeiras, que honramos a Deus.

Como está escrito: Honre o Senhor com todos os seus recursos e com os primeiros frutos de todas as suas plantações; os seus celeiros ficarão plenamente cheios, e os seus barris transbordarão de vinho. (Provérbios 3:9-10).

 

Se você chegou até aqui, fico muito feliz, pois sei que estar compreendendo a maravilhosa dádiva de entregar seus dízimos e ofertas a Deus.

É uma benção extraordinária quando entregamos com satisfação no coração e alegria no rosto, e Deus abençoa, e digo mais: Deus nos dará algo que nem pedimos, pois Deus conhece nossos corações. Você está passando por necessidades nesse momento? Seja fiel. Está querendo ampliar a casa? Seja fiel. Querendo fazer aquela viagem com a esposa? Seja fiel. Querendo comprar aquele carro? Seja fiel. Seja fiel e o mais Ele fará.

Como está escrito: O senhor respondeu: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito.” (Mateus 25:21).

 

Mas agora surgiu uma nova pergunta: Para onde vão os dízimos e minhas ofertas?

 

Posso te responder sem medo de errar nesse momento:

100% do dízimo vai para o sustento da Igreja. Distribuído de forma conjunta por igual com todos aqueles que se empenham de forma integral na pregação do evangelho, na manutenção do prédio, energia, água, missões e com noites evangelísticas, seja peça ou noites especiais.

Ou seja, para a propagação do evangelho aos não cristãos (aqueles que ainda não fizeram de Jesus seu Senhor e Salvado).

 

Como está escrito: Por isso, eu digo: Usem a riqueza deste mundo ímpio para ganhar amigos, de forma que, quando ela acabar, estes os recebam nas moradas eternas. Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito, e quem é desonesto no pouco, também é desonesto no muito. Assim, se vocês não forem dignos de confiança em lidar com as riquezas deste mundo ímpio, quem confiará as verdadeiras riquezas a vocês? E se vocês não forem dignos de confiança em relação ao que é dos outros, quem lhes dará o que é de vocês? “Nenhum servo pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará outro, ou se dedicará a um e desprezará outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro.” (Lucas 16:9-13).

 

Por isso dizimar e ofertar é um investimento eterno.

 

Mas eis que surge uma última pergunta: Nunca devolvi o dízimo, o que faço?

 

Comece hoje mesmo a prática desta boa e maravilhosa dádiva bíblica.

 

Como está escrito: Da multidão dos que creram, uma era a mente e um o coração. Ninguém considerava unicamente sua coisa alguma que possuísse, mas compartilhavam tudo o que tinham. Não havia pessoas necessitadas entre eles, pois os que possuíam terras ou casas as vendiam, traziam o dinheiro da venda e o colocavam aos pés dos apóstolos, que o distribuíam segundo a necessidade de cada um.” (Atos 4:32,34-35).

 

A generosidade é um sinal de gratidão e de confiança em Deus. Os primeiros discípulos davam muito mais que o dízimo.

 

Como está escrito: Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza.” (Provérbios 11:24).

 

Seja daqueles que vivem da generosidade abundante do Senhor.

 

O dízimo é a décima parte do rendimento, ou seja, 10% de uma renda.

Um exemplo: Você ganha R$ 2.000 (Dois Mil Reais), você vai separar 10%, ou seja, R$ 200 (Duzentos Reais) como dízimo ao Senhor.

 

Manter a igreja é responsabilidade de seus membros. Não querer contribuir com a obra de Deus indica um mau sinal.

 

Ser dizimista não lhe dará "uma vaga no céu"

 

Contribuir para a manutenção da igreja é contribuir para a Salvação de mais pessoas. Dar ajuda financeira também é importante para que a igreja possa investir no cuidado e no amadurecimento daqueles que já são salvos.

 

Os verdadeiros tesouros não são materiais. Quando morrermos, vamos deixar toda nossa riqueza na terra, mas no Céu uma vida reta diante de Deus vale mais que ouro! Ser generoso é investir na eternidade.

 

A atitude generosa traz grandes bênçãos!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se gostou, comente, deixe sua sugestão ou uma nova pergunta...