segunda-feira, 6 de novembro de 2023

Fé: Aonde está o seu coração?


O que Abraão mais queria?

“Abrão acreditou no SENHOR e, por causa da sua fé, Deus o aceitou como justo. Depois disto, o SENHOR falou com Abrão numa visão e lhe disse: — Abrão, não tenha medo. Eu sou o seu protetor, a sua recompensa será muito grande. Mas Abrão lhe disse: — Ó Senhor DEUS, nada que me possa dar me dará alegria, pois não tenho filhos. Quando eu morrer, o herdeiro de tudo o que tenho será o meu escravo Eliézer, de Damasco. O Senhor não me deu nenhum filho; por isso o meu escravo será quem herdará tudo o que tenho! Mas o SENHOR lhe disse: — O seu herdeiro não vai ser ele. Você terá um filho e será ele quem herdará tudo o que você tem. E Deus saiu com Abrão para fora da tenda e lhe disse: — Olhe para o céu e conte as estrelas, se puder. Os seus descendentes serão tão numerosos como as estrelas" (Gênesis 15:1-6)

É bem provável que a resposta tenha sido “Ser Pai”.

Abraão é uma figura imponente, cuja presença enfeita as páginas de ambos os Testamentos da Bíblia. Ele é mencionado nada menos que setenta e três vezes no Novo Testamento. 

Quando Abraão ouviu de Deus que ele seria pai de uma multidão (esse é o significado do nome “Abraão), a partir daquele momento, ele compreendeu que o que estava em questão não eram seus próprios planos, mas os Planos de Deus. De repente, seu pedido que, até então, parecia tão grande, tornou-se insignificante diante do que Deus queria – afinal, o que é um filho comparado a uma nação? O herói da fé percebeu que um filho poderia atender à sua necessidade, mas não era suficiente para atender à necessidade do Plano de Deus. Logo, tudo o que ele passou a desejar foi agradar a Deus, atendendo aos desejos de Seu Deus.

Segundo as Escrituras Sagradas, o pai de Abrão chamava-se Terá. Terá, pai de Abraão, tinha costumes idólatras, diferente do seu filho. Isso mostra que Deus escolheu Abraão diretamente do meio dos pagãos. Deus fez uma aliança especial com Abraão, prometendo-lhe uma terra abundante e uma descendência numerosa que seria uma bênção para todas as nações da Terra. Essa promessa estava ligada à vinda de Jesus, o nosso Salvador.

“Um deles lhe disse: — Pode ter certeza de que quando eu voltar na próxima primavera, a sua esposa, Sara, terá um filho. Sara estava ouvindo a conversa na entrada da tenda, atrás de Abraão. Então ela riu para si mesma e pensou: “Até parece que vou ter essa alegria estando eu e o meu marido velhos”. Será que há alguma coisa impossível para o SENHOR? Voltarei a você na próxima primavera e Sara terá um filho.” (Gênesis 18:10,12,14)

           Abraão agradece a Deus pela promessa, enquanto Sara ri. Conforme o tempo passou, Sara permaneceu estéril. Sara então quis dar uma “forcinha” a Deus. Então um plano foi criado, ela permitiu que sua escrava Hagar, tivesse relações com seu marido e por meio dela pudesse conceber a criança “prometida”, pois para Sara parecia impossível ser capaz de dar à luz a uma criança devido a demora. Assim, quando Abraão tinha oitenta e seis anos, Ismael nasceu, um rapaz destinado a se tornar um “jumento selvagem de um homem”. “Ele viverá livre como um jumento selvagem, mas ele não estará longe dos seus irmãos. Ele lutará contra eles e eles contra ele.” (Gênesis 16:12). Os descendentes de Ismael, e os hebreus se tornaria amargos inimigos ao longo dos anos.

Aqui aprendemos uma importante lição: quando percebemos que as vezes o que queremos é pouco em relação ao que Deus quer para nossas vidas, perdemos o medo de abrir mão de certas coisas para agradar a Deus. Isso parece fácil de se fazer, mas na realidade não é. Todo ser humano é imediatista, ou seja, querem fazer algo sem demora, de forma imediata. “Uma pessoa imediatista é aquela que busca resultados rápidos e imediatos em todas as áreas de sua vida, sem se preocupar com o prazo ou com possíveis consequências”. Deus sempre vai ter 3 respostas para dar, às vezes é um sim, outras um não, mas com toda certeza sempre é um “espere um pouco mais, ainda não chegou a hora”. Por isso, muitos indivíduos quebram a cara, literalmente falando, pois não procuram conselhos. “Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há sabedoria” (Provérbios 11:14). Alguns se apegam a frase: “Eu não espero acontecer, eu faço acontecer”, muitas das vezes, pessoas que já tentaram realizar algo, aprenderam é preciso ter paciência, e no fim perceberam que era mais eficaz esperar, no entanto, evitamos procurar ajuda, isso a Bíblia chama de orgulho, como podemos ver: “O orgulho procede a queda” (Provérbios 16:18). Por isso não sejamos como Sara, que não esperou o tempo de Deus!


Afinal de contas o que é Fé?


Ora a fé é a certeza das coisas que se esperam e a convicção de fatos que não se veem”. (Hebreus 11.1) Talvez a melhor definição de fé seja essa, dada pelo autor do livro de Hebreus.

Nenhum cristão ou até mesmo alguém de uma religião diferente, negará a importância da fé.

           Para os cristãos, em especial, essa palavra vai ter um significado ainda mais profundo. Afinal, um dos principais versículos das Escrituras é “o justo viverá pela fé” (Romanos 1:17). A fé é o motivo pelo qual nós cremos em Jesus como Salvador.

Passado algum tempo, Abraão e Sara tiveram um menino chamado Isaque. Deus havia cumprido sua promessa! Mas, quando Isaque ficou mais velho, Deus provou a fé de Abraão. “E Deus lhe disse: — Leve com você o seu filho, o seu único filho, o seu filho amado, Isaque, e vá para a região de Moriá. Quando chegar lá, ofereça-o como sacrifício queimado num dos montes que eu lhe indicar.” (Gênesis 22:2). Fico imaginando Abraão triste com essas palavras, porque amava muito seu filho! Falo por mim, minha esposa já está no 6º mês de gestação, e eu já o amo demais. Precisamos lembrar de que Deus havia prometido que os filhos de Abraão morariam na terra de Canaã. Como podia ser assim, se Isaque morresse? Abraão ficou sem entender, mas ainda assim obedeceu a Deus. Fé é acreditar em algo que não podemos ver, não podemos tocar e não podemos entender, mas mesmo assim precisamos confiar cegamente em Deus.

Quando Abraão chegou ao monte, amarrou Isaque e o colocou sobre o altar que construiu. Tirou então a faca da sua cintura para matar seu filho. “Mas o anjo do SENHOR o chamou do céu: — Abraão! Abraão! E Abraão respondeu: — Estou aqui. E o anjo disse: — Não levante a mão contra o seu filho, não lhe faça mal. Agora eu sei que você honra a Deus, pois não poupou o seu filho, o seu único filho. Abraão levantou os olhos e viu um carneiro preso pelos chifres num arbusto. Então foi apanhá-lo e ofereceu-o em sacrifício, no lugar do seu filho.” (Gênesis 22:2,10-13). Aqui vemos o quão grande era a fé que Abraão tinha em Deus! Ele acreditava que nada era impossível ao Senhor. Deus não queria tirar Isaque de Abraão, Deus queria ver onde estava o seu coração naquele momento. Se verdadeiramente o coração de Abraão estava em Deus. Como podemos observar, o coração de Abraão sempre esteve em Deus, e o seu coração onde estar?

Agora pense, se Abraão o pai da fé foi provado, há fortes indícios, no texto, que me permitem afirmar que eu e você também seremos provados. No teste da prioridade o Senhor vai te pedir aquilo que pode estar roubando o lugar que só pertence a Ele em nossos corações. Tempo, energia, dinheiro, etc. são coisa que costumamos colocar na frente de Deus, quando fazemos isso essas bênçãos se tornam em ídolos do nosso coração.

Talvez a pergunta mais dolorosa que Abraão ouviu de Isaque foi, “onde está o cordeiro para o sacrifício?”. Quando questionado pelo rapaz, Abraão diz o seguinte: “Deus proverá para si um cordeiro”. No dia da provação nós devemos ter fé. Mas fé em que? Na Palavra de Deus! Se você está passando pela provação pode ser um bom sinal de que és filho de Deus. É importante, distinguir provação de tentação. De forma resumida, provação tem o objetivo de nos aproximar de Deus e tentação vem do inimigo das nossas almas para tentar nos distanciar de Deus. Provação tem caráter passageiro. “Meus irmãos, considerem como motivo de alegria o fato de passarem por vários tipos de provações. Pois vocês sabem que a sua fé, depois de ter sido colocada à prova e confirmada, produz perseverança.” (Tiago 1:2-3), nenhuma provação é eterna, elas são desconfortáveis, mas não difícil de superar com ajuda de Deus.

Por fim, a razão principal pela qual Deus, não permitiu que Abraão sacrificasse Isaque, foi porque desde o início o único Pai que sacrificaria seu único Filho era o Próprio Deus, ele fez isso na cruz. A história de Abraão e Isaque além de ser um modelo de fé e de como vencer a provação, ela é também uma sombra daquilo que Pai faria com o Filho na cruz. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que enviou seu filho ao mundo para que todo aquele que nele creia, não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3.16.

Quando nossa fé for provada, apenas confie, mesmo que você não veja o resultado confie, mesmo você não vendo mudança, confie. Mesmo que muitas noites ao encostar a cabeça no travesseiro para chorar em silencio, confie nos planos de Deus. Não pegue atalho como Sara, seja paciente, continue orando, continue caminhando.

Deus irá provê todas as nossas necessidades, desde que estejamos dispostos a obedecer e reconhecer sua suprema vontade: “E o meu Deus, de acordo com a sua gloriosa riqueza em Cristo Jesus, vai suprir todas as necessidades de vocês.” (Filipenses 4:19)

Um comentário:

  1. Deus proverá 🙏
    Meu irmão que texto foi esse🙏 que o senhor abençoe sua casa, que seu bebê venha com saúde, aquele que prometeu é fiel para cumprir 🙌

    ResponderExcluir

Se gostou, comente, deixe sua sugestão ou uma nova pergunta...